A(s) língua(s) chinesa(s)

A língua chinesa é uma realidade complexa. Para os linguistas, não é possível falar de uma só língua chinesa: as diferenças entre os dialectos chineses são maiores do que as diferenças, por exemplo, entre línguas latinas (embora seja difícil comparar “diferenças”).

Para uma empresa que queira entrar no mercado chinês, convém saber alguns dados sobre a realidade linguística do país:

  • No que toca à escrita, existe o “chinês simplificado”, versão oficial na República Popular da China (RPC), e o “chinês tradicional”, versão oficial em Taiwan (país que, oficialmente, se denomina “República da China” — e não é reconhecido pela RPC), e ainda em Hong Kong e Macau.
  • Na oralidade, o chinês padrão é o mandarim, embora as duas Regiões Administrativas Especiais (Macau e Hong Kong) usem, oficialmente, o cantonês.

Assim, para sabermos para que versão do chinês devemos traduzir um documento, é essencial saber em que território será usado.

Da mesma forma, um intérprete deve saber se irá ouvir mandarim ou cantonês — a designação “chinês” não basta…

Emblem of Hong Kong
Emblem of Hong Kong (Photo credit: Wikipedia)