A Eurologos no Mundo

A internacionalização é um passo fundamental para qualquer empresa portuguesa que queira ultrapassar a situação de crise em que o país se encontra. Além disso, no seu conjunto, a internacionalização das empresas portuguesas irá contribuir para resolver os problemas económicos do país.

O momento da internacionalização de qualquer empresa é excepcionalmente complexo. Cada mercado tem as suas necessidades, dificuldades e, principalmente, características culturais únicas que é necessário conhecer e ter em conta. No entanto, é um passo essencial: quando o pequeno mercado português se encontra numa crise profunda, só expandindo para mercados como a Europa, os E.U.A. ou a China é possível sobreviver – com a vantagem de que esta “estratégia de sobrevivência” pode ser a base dum crescimento sustentado no futuro. Sabemos que, hoje, a internacionalização é um passo para o qual muitas empresas são empurradas, mais do que uma etapa planeada e assumida. Uma cultura em que a expansão global é normal e planeada desde o momento da criação duma empresa será muito benéfica para uma economia pequena como a nossa.

No entanto, o processo de globalização duma empresa é um processo de localização múltipla, ou seja, mais do que passar a ter de agir num único mercado global, a empresa tem de compreender que estará a agir em múltiplos mercados locais. O consumidor global não existe: existem vários consumidores locais, cidadãos de países, regiões e cidades particulares que, apesar de adquirirem serviços e produtos vendidos à escala planetária, mantêm, orgulhosamente – e cada vez mais – gostos, particularidades e necessidades próprias.

Desta forma se explica como o processo de globalização das últimas décadas (ou, segundo alguns, séculos) tenha sido acompanhado por uma cada vez mais necessidade de serviços de tradução e de adaptação linguística. O inglês e outras línguas internacionais servem perfeitamente para a comunicação cara-a-cara ou comunicações informais. No entanto, para todos os documentos e comunicação destinados aos consumidores finais, a utilização das línguas locais é um imperativo para quem quer vencer em cada um dos mercados. Este fenómeno é acompanhado por um ressurgimento de línguas regionais ou mesmo locais – assim, por exemplo, em Espanha, é necessário ter em conta realidades linguísticas muito para lá do mero uso da língua espanhola. Se isto acontece no nosso país vizinho, cada empresa deverá ter em conta tudo aquilo que não sabe sobre os mercados longínquos onde quer actuar.

A Eurologos, fundada em 1977, em Bruxelas, está hoje presente em vários mercados, com o intuito de ajudar cada cliente a comunicar em mercados internacionais de forma fácil e adequada. Assim, desde os anos 90, a Eurologos assumiu uma postura “glocal” – é uma empresa global, mas com presença profundamente local em cada mercado. Assim, os nossos clientes têm a certeza de que a sua comunicação e os seus documentos serão traduzidos ou adaptados para cada mercado por profissionais nativos da língua ou línguas de cada país.

Estamos presentes em Lisboa, no Parque das Nações, desde 2006 – em 2009, criámos a Eurologos-Porto, perto da Casa da Música. Os nossos dois escritórios locais, em Portugal, servem as empresas portuguesas, ajudando-as a comunicar em qualquer língua. Por outro lado, produzimos localmente as traduções de qualquer língua para português, muitas vezes através dos outros escritórios da Eurologos. A Eurologos, em Portugal, tem registado um crescimento extraordinário, tanto no seio do sector dos serviços linguísticos em Portugal como do próprio grupo Eurologos.

A nível internacional, a Eurologos está presente em mercados como Espanha, França, Bélgica, Itália, Japão e China. Recentemente, abrimos um novo escritório em Londres, por iniciativa da direcção da Eurologos-Lisboa. É uma empresa local portuguesa, integrada neste grupo internacional, que está à frente do projecto de abertura daquele que virá a ser, com toda a probabilidade, o maior escritório do grupo, em Londres. Este facto enche-nos de orgulho – esperamos que sirva de exemplo a todas as empresas portuguesas, pequenas e grandes, para que possam internacionalizar-se, com a certeza que a Eurologos estará pronta a ajudá-las a comunicar em qualquer língua – um passo fundamental para sairmos da crise em que estamos.

Desta forma, seja para traduzir documentos internacionais para português, seja para comunicar em inglês, espanhol, chinês, italiano, francês, ou mesmo em catalão, húngaro, sueco ou outras línguas, a rede da Eurologos é uma mais-valia para os nossos clientes. Comunicam com um escritório local, em português, contactam com uma equipa portuguesa, mas têm acesso a escritórios globais, a produzir ou a recriar os seus textos de forma adaptada a cada mercado.

É com serviços como estes que a internacionalização das empresas portuguesas se faz de forma sustentada e com a qualidade que todos queremos mostrar ao mundo.

Marco Neves, director da Eurologos em Portugal

 Pontos de Vista (suplemento do Público)19 de Dezembro de 2011