NATO ou OTAN?

A NATO tem um nome oficial em português: OTAN. No entanto, o nome real, usado efectivamente por quase todos os falantes da língua (em Portugal) é NATO. A língua tem razões que a lógica desconhece, e neste caso não há grande coisa a dizer: a NATO continuará a ser NATO e a fazer cimeiras em Lisboa. Já em Espanha, será OTAN, sem ninguém achar estranho. Também o Marquês tentou mudar o nome de Terreiro do Paço para Praça do Comércio e está demorado… Continuar a ler NATO ou OTAN?

manure

As palavras às vezes seduzem-nos de formas misteriosas. Tenho uma amiga que gosta muito da palavra inglesa manure, sem gostar especialmente do correspondente português — e, muito menos, da realidade que a palavra representa. Quem mais terá palavras de que gosta muito só pelo som ou pelo aspecto gráfico? Manure noutras paragens: mist, na Alemanha, fumier na França, simaur no País Basco, estiércol noutras zonas de Espanha, estrume por cá… Repare-se, já agora, como a bruma inglesa se transforma no estrume alemão… Continuar a ler manure

ordinário

As palavras dão muitas voltas. A palavra ordinário, por exemplo, quer dizer muitas coisas: “dentro da ordem prevista”, “normal”, “vulgar” e “reles”. Podemos utilizar em expressões como “assembleia ordinária” e “homem ordinário”. Como conseguimos ir de “reunião dentro da ordem prevista” a “homem reles” numa só palavra? Uma hipótese: sendo aquilo que está dentro da ordem prevista algo “vulgar” (=”comum”), logo passámos ao significado “vulgar=reles” — e, assim, temos “ordinário” enquanto “reles”. Claro que o caminho que a palavra fez, de facto, ao longo da sua história pode ter sido diferente. Um dicionário etimológico esclarecerá esta dúvida. De qualquer forma, … Continuar a ler ordinário